Archive

setembro 2020

Browsing

Por décadas as dietas ditam a moda de como as pessoas devem comer. Elas geralmente são baseadas no que “pode” ou “não pode”. No que é “saudável” e no que “não é saudável”. No julgamento alheio . E na percepção do corpo perante uma sociedade.

O fato é que comer vai muito mais além das calorias do alimento. Comer diz respeito a sua cultura, à momentos e a prazeres. Sim, comer de forma saudável deve ser prazeiroso! Por isso reeducação alimentar precisa ser tão eficaz

E infelizmente com dietas restritas isso é impossível. Segundo as diretrizes da ABESO (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica) dietas com deficit calórico de 500 a 1000 kcal levam ao emagrecimento, porém grande porcentagem de pacientes recupera o peso perdido, tais índices ultrapassam os 90%, no período de um a cinco anos após a dieta. Fora isso diversos estudos apontam que fazer dietas muito restritas se relacionam com transtornos alimentares como compulsão alimentar, anorexia e bulemia. Ou seja, dietas não funcionam se feitas de forma errada e com a intenção errada. Ao falar de respeitar o corpo é muito importante você entender que um hábito saudável deve ser formado com uma relação saudável com a comida.

Reeducação alimentar de maneira tranquila e confortável, sem dietas mirabolantes e sem sofrimento:

1) Entenda o SEU POR QUE para ter uma alimentação saudável. É o primeiro passo para achar a motivação adequada que levará esse processo para a vida toda. Reflita: Continuar com alimentação como está hoje vai te levar a onde? Quais são as consequências? Você quer cuidar da sua saúde para emagrecer? Para ter confiança de se relacionar com as pessoas? Para ter mais disposição para estar com seus filhos ou Fazer uma caminhada? Quer vestir aquela roupa que faz tempo que está guardada no armário? Que se reconhecer no espelho? Defina no mínimo 10 motivos .

2) Largue todas as dietas que já ouviu falar. A reeducação alimentar é diferente de tudo o que já fez. Provavelmente você já deve conhecer alguém que iniciou um processo de emagrecimento e após um curto período ou após alcançar o objetivo simplesmente largou tudo e até engordou. Bom, isso acontece pois não ouve uma mudança de mentalidade. Na reeducação alimentar você aprende a comer o alimento, sabe como montar seu prato, como lidar com aquele docinho ou pãozinho que você tanto ama, sem a necessidade de corta-lo da sua vida.

3) Um passo de cada vez. Comece mudando um hábito de cada vez. Em um caderninho crie metas (check-list ou planners ) semanais para inserir alimentos/ hábitos novos, ou reduzir aqueles que menos te favorecem. Uma dica que dou: inicie com os alimentos que tem mais familiaridade, para depois introduzir aqueles não tem tanto costume, com os hábitos a mesma coisa. Se você não consome muitos vegetais, que tal começar com o básico, fazendo uma salada de alface e tomate (depois que tiver comendo todos os dias, você pode fazer uma salada com outros ingredientes).

4)Entenda o que está fazendo. Procure um profissional, não só para de dizer o que tem que fazer, mas sim te ensinar COMO fazer sozinha e criar assim uma autonomia. Obs: Caso decida fazer o processo sozinha estude MUITO e tenha consciência que pode levar ainda mais de tempo . Evite pegar qualquer cardápio pronto. Uma alimentação saudável deve ser personalizada para você e respeitar seu corpo, sua saúde e tudo o que já viveu com a alimentação.

5) Use a regra 80/20 A regra do 80/20 elimina a ideia de você ter que cortar os alimentos que ama na sua dieta para emagrecer. É o famoso, “coma de tudo com moderação”. Ela sugere que 80% da sua alimentação seja com alimentos naturais e ricos em nutrientes e 20% com exceções que possam surgir, como doces, lanches, fast-foods, etc.

O OBJETIVO é que você possa ter uma alimentação saudável de forma FLEXÍVEL e COMO ESTILO DE VIDA. Mantendo também seu emagrecimento de forma sustentável e duradoura! Geralmente com meus pacientes eu negócio essa regra do 80/20 de forma semanal. Assim eles fazem o cardápio direitinho todos os dias, tendo direito à 1 a 3 refeições livres. Varia de pessoa para pessoa. Fica um alertar cuidado com as promessas de “fórmulas mágicas”, com o julgamento excessivo da sua alimentação e com comparações estéticos. Respeite seu corpo, seus hábitos e principalmente, SEU TEMPO! Nada de iniciar uma reeducação alimentar com urgência.

Quem escreve: Carolyn Tomé Nutricionista – Team By Marcela Silva

Olá, pessoas!

Mas o que é estilo comfy? Você já deve ter escutado que para andar na moda você precisa sofrer? A mulher sempre usou sapatos de salto altos, roupas apertadas, sem falar nos espartilhos historicamente sempre estiveram no universo feminino. Se você está cansada de roupas desconfortáveis, mas deseja andar bem vestida, esse post é para você.

O estilo comfy é junção do conforto com informação de moda, essa tendência não é novidade. Há algum tempo, os tênis confortáveis tomaram conta das passarelas no mundo todo e várias mulheres que nunca usaram tênis fora da academia estão usando e amando.

Com essa quarentena, nada melhor que estilo comfy para passar os dias. Tem coisa melhor que um conjunto de moletom super aconchegante?

Essa tendência que começou tímida com os tênis, e alguns casacos de moletom, hoje já encontramos diversas peças em vários estilos e materiais. O principal é o moletom, o queridinho da galera que procura praticiadade e conforto

A tendência comfy é mais comum ao estilo natural/ esportivo mas pode ser facilmente adaptado a qualquer outro estilo, inclusive aos looks masculinos.

Independente do estilo ou momento, há dias em que só queremos ficar em casa curtindo uma série, trabalhando home office, sozinho ou com pessoas que amamos em uma roupa linda e confortável.

O look comfy é delicioso e pode ir em vários lugares, mas precisa ter alguns cuidados para transmitir a mensagem que é desejada.

Vamos às dicas:

Flexibilize os looks. Ao comprar um conjunto você pode usar o casaco com outras peças, assim você multiplica seus looks

Looks confortáveis não são sinônimo de desleixo, aposte em um look bonito e gostoso.
Pelling ( bolinha de roupa), os pelos nas roupas, e peças descoradas, peças assim não devem sair de casa.

Para montar looks, aposte no hilow: misture peças confortáveis com salto, peças de alfaiataria , materias como couro e peças de estilos e materiais

Peças para apostar nesse inverno

Moletom tie dye

Cardigan Longa:

Casaco manga princesa:

Golas altas

Onde comprar: